CEBDS premia lideranças femininas em causas sustentáveis

10/10/2018

As boas causas sustentáveis merecem destaque para serem multiplicadas. Com essa concepção, o Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) premiou as lideranças femininas que mais destacaram em 2018, segundo indicação de suas empresas associadas, e contou também com participação de júri popular. A segunda edição do Prêmio Liderança Feminina, inspirada no Leading Woman Awards, do World Business Council for Sustainable Development (WBCSD), reconhece lideranças femininas engajadas na promoção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). A cerimônia de entrega do prêmio aconteceu no Congresso Sustentável 2018, nesta terça, 11, com patrocínio do Santander, Itaú, Braskem, Shell, Philip Morris, iCS e Instituto Arapyaú, além de apoio da Neutralize CarbonoNespresso eFiltros Europa.

Para esta edição, o CEBDS estabeleceu três categorias: Empresas Associadas, que escolherá três lideranças em atividade nas empresas ligadas ao Conselho; Iniciativa Novas Líderes, que reconhecerá uma iniciativa voltada para promoção da equidade de gênero; e Voto Popular, que premiará uma mulher indicada e escolhida pelo público.

Uma das vencedoras da categoria Empresas Associadas, Solange Ribeiro é Diretora Presidente Adjunta da Neoenergia e engajada em causas sociais. Em 2017, foi uma das mentoras do projeto “As Líderes do Amanhã”, que selecionou dez estudantes universitárias para participar de sessões de mentoria com executivas de sucesso.

“Trazer à tona o debate da diversidade dentro das organizações, de forma natural e reforçada pelo exemplo, me leva a seguir em frente.  Por isso tem sido gratificante participar de projetos que auxiliam o desenvolvimento de carreira de uma nova geração de mulheres que se destacam no mercado de trabalho”, acredita Solange.

A categoria também reconheceu o trabalho da Gerente Corporativa de Meio Ambiente da Cervejaria Ambev, Beatriz Oliveira, e da Head de Proteção Ambiental, Saúde e Segurança da Siemens, Roberta Carneiro.

Na Siemens, Roberta Carneiro reduziu, em seus últimos cinco anos de gestão, em 90% a taxa de frequência de acidentes e em 38% as emissões de gases de efeito estufa. Na empresa, Roberta também ganha destaque pelo desenvolvimento de sua equipe e das pessoas que trabalham na organização. A energia despendida para desenvolvimento de carreira de seus liderados, acompanhamento de suas metas pessoais e profissionais e investimento de tempo e recursos para tal são percebidas por todos.

“É com muito orgulho que recebo esse prêmio, fruto do trabalho e dedicação de um time brilhante, com o qual tenho o privilégio de aprender coisas novas todos os dias. Espero contribuir cada vez mais para que a Siemens seja reconhecida por seu DNA colaborativo, focado na evolução pessoal e profissional de cada funcionário da empresa”, comemora Roberta.

Uma das principais agentes da estruturação da área de meio ambiente na Cervejaria Ambev, Beatriz Oliveira ajudou a transformar a cervejaria em referência mundial em gestão da água e a evoluir, nos últimos 15 anos, em 45% a sua eficiência hídrica. Chegar a esse nível de maturidade só foi possível com a viabilização de projetos de ecoeficiência, que justifica a contribuição da candidata ao ODS 6.

“Trabalhar em linha com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável é um compromisso para deixarmos um legado sustentável para as próximas gerações. A Cervejaria Ambev tem o sonho de unir as pessoas por um mundo melhor e cuidar do meio ambiente e da preservação dos recursos naturais é essencial para atingirmos esse objetivo”.

Na categoria Iniciativas Novas Líderes, a grande vencedora foi o projeto Diversidade e Inclusão Total, da Schneider Electric Brasil, que, dentre outros temas, trabalha fortemente a igualdade de gênero. Através do programa, a empresa conseguiu, em 2017, atingir a cota de 46% para contratação de mulheres (a meta era 40%) e ainda, em julho de 2018, zerou a diferença de salários entre homens e mulheres em cargos semelhantes.

“Para a Schneider Electric, o pilar Diversidade e Inclusão faz parte da estratégia para o desenvolvimento sustentável da companhia e da sociedade. Somos todos diferentes – gênero, etnia, cultura, geração, PCD e LGBTI+, entre outros grupos. Acima de tudo, respeitamos as diferenças, e inovamos graças a elas”, declara Maristella Iannuzzi, Diretora Global Digital Customer Experience e Diversidade da Schneider Electric para América do Sul.

Já a escolhida pelo Voto Popular, entre as 18 candidaturas recebidas, foi a presidente do Serviço de Limpeza Urbana do Distrito Federal, Heliana Kátia Tavares Campos. Helliana foi idealizadora do Fórum Nacional Lixo e Cidadania e da campanha “Criança no lixo nunca mais”. Foi também sob sua gestão que o Distrito Federal encerrou as atividades do maior lixão da América Latina.

“É um sentimento indescritível termos conseguido fechar o segundo maior lixão do mundo, tirar definitivamente adultos e crianças de uma situação tão degradante e contratar catadores de materiais recicláveis como prestadores de serviços públicos com remuneração e condições dignas de trabalho na Capital Federal”.

Segundo o Fórum Econômico Mundial, homens e mulheres terão salário e representatividade iguais no mercado de trabalho somente em 2234. O relatório “Global Gender Gap Report 2017” ainda destaca que, em muitos dos países pesquisados, o principal motivo para tanta disparidade econômica é a pura discriminação. Mulheres ocupam a mesma função de homens e ganham menos para desempenhar a mesma tarefa.

“O estudo do Fórum Econômico Mundial analisou, além da disparidade salarial entre homens e mulheres, que a renda masculina está aumentando de forma mais rápida. Enquanto a renda anual de uma mulher em 2017 foi de 12 mil dólares, a média do homem foi de 21 mil dólares. Esses dados por si só justificam a premiação voltada para reconhecer o trabalho das mulheres, tantas vezes invisibilizadas em seus locais de trabalho”, analisa a presidente do CEBDS, Marina Grossi.

O tema, inclusive, faz parte das 10 propostas elaboradas pelo CEBDS, e que estão sendo entregues aos presidenciáveis, dentro da Agenda CEBDS por um País Sustentável, elaborada pelos CEOs das empresas associadas. A proposta de número 10 da Agenda propõe ao poder público visibilidade aos dados quantitativos de cargo, escolaridade e remuneração do funcionalismo público no Portal da Transparência para promover a equidade hierárquica e salarial de gênero e raça.

A inclusão dessa parcela da população na economia e na política tem o potencial de gerar ganhos significativos para os setores públicos e privado. Somente considerando a questão de gênero, se as mulheres tivessem papel semelhantes aos dos homens no mercado de trabalho, observaríamos um incremento de pelo menos US$ 28 trilhões no PIB mundial.

 

** Conheça abaixo um pouco mais das ganhadoras de cada categoria.

CATEGORIA EMPRESAS ASSOCIADAS

Solange Ribeiro, diretora presidente adjunta da Neoenergia

Diretora Presidente Adjunta da Neoenergia No Período 2012 a 2017 foi Diretora Presidente da empresa, onde ingressou em 2004, como Diretora Executiva de Regulação e Meio Ambiente. É Vice-Presidente do Conselho de Administração do Operador Nacional do Sistema – ONS. É membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social – CDES, e membro do Conselho de Administração da Associação Brasileira da Indústria de Base – ABDIB. É membro do Comitê Gestor Nacional do Projeto Juntos. Com 34 anos de experiência, construiu carreira ascendente no setor elétrico brasileiro tendo exercido cargos de alta liderança em grandes empresas, como Chesf e Eletropaulo. Atuou como consultora na National Economic Research Associates em Washington, DC. É Graduada em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Pernambuco e Mestre na pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Foi pesquisadora visitante do Imperial College of Science, Technology and Medicine, em Londres.

Beatriz Oliveira, gerente corporativa de Meio Ambiente da Ambev

Possui vasta experiência na companhia antes do surgimento da mesma como hoje é conhecida: sua atuação se iniciou na Brahma como Engenheira, em 1991. Beatriz participou ativamente da estruturação da área de meio ambiente e do avanço para processos mais sustentáveis tanto da Brahma quanto da atual Cervejaria Ambev e da expansão da atuação da companhia em projetos de Sustentabilidade. Foi uma das principais colaboradoras na replicação do sistema de gestão ambiental da empresa brasileira na AB Inbev, grupo global do qual a Cervejaria Ambev faz parte. É formada em Engenharia Química pela UFRJ com especialização Engenharia Ambiental pela UERJ. Possui MBA em Gestão de Negócios pela Business School São Paulo.

Roberta Carneiro, Chefe de Proteção Ambiental, Saúde e Segurança da Siemens

Engenheira química com pós-graduação em engenharia de segurança do trabalho, engenharia ambiental e MBA em gestão empresarial. 20 anos de experiência em multinacionais de diferentes setores; bens de consumo, farmacêutica, químicos, agronegócio e energia nas áreas de higiene ocupacional, segurança do trabalho, saúde, meio ambiente, responsabilidade social e sistemas de gestão (OHSAS 18000, ISO 14000 e ISO 9000). Atuou como membro do Conselho Municipal de Meio Ambiente (Comam) de São José dos Campos representando as indústrias da região e como conselheira da Comissão Ambiental e Comissão do Atuação Responsável da ABIQUIM. Participou do programa Empresas pelo Clima da FGV como foco na gestão e controle das emissões dos gases de efeito estufa. Foi voluntária da ONG Criança

Segura no trabalho voltado a preparação de educadores das escolas de São José dos Campos. Desenvolveu diversos trabalhos com comunidade voltados a educação ambiental, criação da brigada mirim de meio ambiente que envolvia anualmente dezenas de jovens em atividades de conscientização e preservação ambiental, além dos projetos de Revitalização de Nascentes Urbanas.

CATEGORIA INICIATIVA NOVAS LÍDERES

“Diversidade e Inclusão Total”, da Schneider Eletric Brasil

O projeto cobre um amplo espectro de características: LGBTI, Gender, PCD, Geração, Raça e Cultura. Destacando o ODS5 (equidade de gênero), a estratégia do programa foi construída para harmonizar o balanço entre gêneros buscando a igualdade de salários, com meta de ter programas de equidade salarial em 95% dos países onde a companhia opera até 2020. Além disso, foi criada uma quota mínima de 42% para contratação de mulheres e presença de pelo menos uma candidata mulher no short list para todas as posições. O programa também dedicada atenção especial para a formação de líderes- o objetivo é chegar a 30% de mulheres em cargos de liderança com um extenso programa de “reverse mentoring” contribuindo para criação de uma nova geração de líderes. O processo de engajamento de toda a organização também foi promovido através da criação de comitês de diversidade, com interações recorrentes em eventos internos e externos e discussões amplas sobre o tema elevando o nível de conscientização e engajamento.

CATEGORIA VOTO POPULAR

Heliana Kátia Tavares Campos, Presidente do Serviço de Limpeza Urbana do Distrito Federal. Engenheira civil com especialização em Engenharia Sanitária e Ambiental pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e mestre em Desenvolvimento Sustentável pela Universidade de Brasília (UnB). Foi secretária de Parcerias do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, bem como oficial de Projetos do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), além de idealizadora do Fórum Nacional Lixo e Cidadania e da campanha “Criança no lixo nunca mais”. Foi sob sua gestão que o Distrito Federal encerrou as atividades do maior lixão da América Latina.