3

É preciso repensar os modelos de prestação de serviço de saneamento

Mais de dez anos após a Lei do Saneamento Básico entrar em vigor no Brasil, em 2007, metade da população do país continua sem acesso a sistemas de esgotamento sanitário. O acesso da população à coleta de esgoto passou de 42% para 52% e o de abastecimento de água passou de 81% para 83%. Esta lenta evolução suscita um diálogo transparente sobre os modelos atuais de prestação de serviços, a fim de identificar barreiras e construir novas oportunidades que garantam a aceleração do acesso aos serviços e alcance das metas de universalização.

1

Deixe o seu comentário!

Comentários

  1. José Augusto disse:

    É preciso mudar. Nunca é tarde para lutar por mais avanço.

Conheça as Mensagens Curta, compartilhe e participe

11

Todos têm direito à água segura e ao esgotamento sanitário adequado, e todos têm o dever de defender e preservar a água para as presente e futuras gerações.

1

O Brasil tem o compromisso de cumprir suas metas de universalização dos serviços de Água e Esgoto

1

É preciso repensar os modelos de prestação de serviço de saneamento

0

A cooperação entre os setores público e privado é fundamental para a realização das metas de universalização

1

Tarifas realistas e justas devem garantir a sustentabilidade dos serviços de água e esgoto

2

Precisamos engajar a sociedade e qualificar o debate sobre os desafios e soluções para o setor de saneamento

0

Saneamento básico deve estar integrado com a gestão de recursos hídricos

1

A formação e capacitação profissional devem ser prioridades no setor saneamento

Quem compartilha